segunda-feira, 26 de novembro de 2012

KIT PAELLA


















ESTA SEMANA VOCE ENCONTRA EM NOSSA LOJA O
KIT PAELLA. COMPOSTO POR TENTÁCULO DE POLVO, 
LULA EM ANÉIS, CAMARÃO DESCASCADO E MEXILHÃO. 

domingo, 25 de novembro de 2012

CENTOLLA PRÉ-COZIDA



Chamados de centollas (centodjas, na pronúncia argentina, ou centolhas, como preferem dizer os chilenos), pertencem a uma categoria de crustá­ceos valorizadíssima pela gastronomia mundial, com um sabor normalmente definido como um meio-termo entre o do caranguejo comum e o da nobre lagosta.

Por aqui, o centolla aparece apenas e discretamente em cardá­pios de restaurantes estrelados das principais capitais.


Recebemos, esta semana, Centolla Pré-Cozida congelada de tamanho "G"

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Anéis de Lula

As Lulas são moluscos marinhos. A maioria não tem mais que 60 cm de comprimento, mas já foram identificadas lulas-colossais com 14 metros.

Os anéis de lula podem ser preparados fritos, empanados, em molhos e gratinados. Possui uma textura macia e suculenta. .

Na Nutrimar, em Feira de Santana (BA), você encontra Lula em anéis em pacotes de 300g e pacotes de Kg.
Dica de Receita:

Anéis de Lula Empanados com Maionese de cebolinha



Ingredientes
750g de anéis de lula
350ml de cerveja (em temperatura ambiente)
2 xícaras de farinha de trigo
2 claras de ovo
1/4 xícara de óleo vegetal
1 colher de café de sal
Óleo para fritar

Para a maionese de cebolinha:
50g de cebolinha
100ml de azeite
10ml de molho inglês
10ml de vinagre branco
1 ovo
1 dente de alho

Modo de preparo
Prepare a massa para empanar: Numa tigela coloque a farinha de trigo e o sal e misture. Em outra menor, misture o óleo com a cerveja. Depois vire a mistura líquida sobre a farinha e misture com um batedor de claras, porém sem bater. Misture apenas o suficiente para os ingredientes se combinarem. Deixe descansar por 1 hora antes de terminar o preparo.

Para a maionese de cebolinha:
Doure a cebolinha e o alho e depois bata no liquidificador junto com o ovo, vinagre, molho inglês. Emulcione acrescentando o azeite devagar até obter uma maionese consistente

Prepare os anéis: Compre as lulas limpas, em formato de tubo ou já cortadas em anéis. Lave-as sob água corrente e fria, se desejar e seque com um papel toalha. Se estiverem inteiras, corte-as com uma faca afiada sobre uma tábua, no sentido transversal para obter as rodelas +/- 1cm de largura. Salgue e reserve-os.

Prepare as claras: Bata as claras em ponto de neve na batedeira ou com um batedor de claras. Na batedeira use a velocidade mais alta e bata por 5 minutos. Batidas à mão ou na batedeira, elas devem ficar bem durinhas, formando picos firmes quando levantadas no ar.

Empane e frite: Numa panela funda ponha uma quantidade de óleo que cubra os anéis de lula e deixe esquentar bem. Enquanto isso misture delicadamente as claras na massa que estava repousando. Mergulhe então os anéis no creme, um a um à medida que fôr fritando.

Dicas: Coloque-os para fritar no óleo bem quente, com cuidado para evitar queimaduras. Não coloque muitos de cada vez. Eles estarão prontos quando estiverem douradinhos. Deixe escorrer em um prato forrado com papéis toalha.
Sirva quente com a maionese de cebolinha.

Na Nutrimar, você encontra Lula em anéis em pacotes de 300g e pacotes de Kg.

domingo, 25 de março de 2012

Conhecendo um pouco mais sobre o Camarão

Existem na natureza inúmeras espécies de camarões comerciais.

Os camarões mais comumente encontrados e pescados em todo litoral brasileiro são: camarão rosa, camarão branco, camarão pistola e camarão sete barbas, todos subespécies do Penaeus spp.
O camarão cinza ou litopenaeus vannamei ou simplesmente Vannamei, originário do oceano Pacífico, aqui no Brasil é cultivado em viveiros de água salgada (fazendas de camarão), principalmente nos estados do Nordeste (RN, CE, PE, PB e BA). Esta é a espécie mais comumente produzida e processada pela Indústria Alimentícia. O vocábulo “cinza” refere-se à cor do camarão cru, uma vez que cozido, ele adquire a cor vermelha.

Obs.: A expressão spp. após o nome do gênero representa que o mesmo possui diversas espécies.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Camarão Fresco?


O mercado denomina o camarão conservado no gelo de “camarão fresco”, mesmo que já tenha se passado alguns dias desde a sua pesca.

Em cidades não litorâneas, os camarões são deste tipo. Após a pesca, o camarão é colocado no gelo para viagem e, de cidade em cidade o camarão, tido como "fresco", vai absorvendo a água, podendo ter aumento de 30% ou mais no seu peso.

No gelo ele deveria ser conservado por no máximo 5 dias, sendo que muitos ambulantes sem escrúpulos passam desse período. A comercialização feita desta forma põe em risco a saúde do consumidor, pois são produtos sem fiscalização sanitária, freqüentemente sem documentação fiscal e pescados sem preocupação ambiental, muitas vezes desrespeitando os períodos de reprodução das espécies.

A venda de camarão fresco é também um problema de saúde pública, pois sendo o camarão um alimento que requer cozimento rápido (3 minutos em média), este tempo é insuficiente para eliminar doenças que porventura venham com a água que ele absorve (tifo, disenteria , etc).

As principais diferenças entre o camarão congelado e o camarão fresco são listadas logo abaixo:

Camarão conservado no gelo (fresco)
- O camarão fresco normalmente possui elevado teor de água. O cliente estará pagando água pelo preço do camarão.
- O camarão fresco dura somente 5 dias, após o qual começa a se deteriorar.
- O camarão fresco, quando cozido, reduz muito o seu tamanho (perde a água que foi incorporada).
- Juntamente com a água perdida no cozimento, vai o sabor.

O camarão congelado
- O camarão congelado não possui água incorporada.
- O camarão congelado, quando mantido a –18º C, dura mais de 1 ano sem perder nenhuma de suas características e qualidade.
- O camarão, quando não tem água incorporada, possui um sabor inigualável e pouco reduz de tamanho, se cozido corretamente.
- Uma vez descongelado, o camarão deve readquirir todas as características do camarão fresco, como se ele tivesse sido pescado há cerca de 3 horas.

sexta-feira, 16 de março de 2012

Camarão de Maricultura x Camarão de Pesca



O camarão é um animal com características bastante peculiares: uma vez pescado e morto ele começa a absorver água, aumentando seu peso. Por este motivo é necessário congela-lo o mais rapidamente possível, para garantir a qualidade do produto.

Os camarões de pesca (rosa, branco, pistola ou sete barbas), normalmente são mantidos em gelo nos barcos e logo depois vão para os centros urbanos ainda nesse tipo de conserva. Dessa forma, eles vão absorvendo a água, podendo chegar a ter aumento de 30% ou mais no seu peso.

Já os camarões de Maricultura (cinzas), cultivados nas fazendas passam por um rígido controle de qualidade e inspeção, garantindo, entre outras coisas, que o camarão não ultrapasse 3% de água. Logo depois da despesca (*) os camarões são desinfetados e abatidos seguindo imediatamente para resfriamento, congelamento ou pré-cozimento/salga/defumação.

Desinfecção
O cloro é um potente desinfetante com poder oxidante. Nesta etapa de beneficiamento, os camarões recebem uma lavagem com água clorada de concentração mais elevada do que a habitual, em torno de 5 ppm ou mais, por aproximadamente três minutos, tendo em vista eliminar microrganismos como Vibrio cholerae (causador da cólera), Coliformes, Salmonella, entre outros.

Abate
O mesmo procedimento da desinfecção deverá ser realizado com os camarões na técnica de abate, através da imersão dos recipientes vazados, em água contendo bastante gelo picado, de tal forma a manter a temperatura entre 20ºC e 30ºC. Após, aproximadamente, três minutos de imersão, os camarões estarão mortos por choque térmico e prontos para serem comercializados frescos ou processados através de técnicas de congelamento, pré-cozimento, etc.

(*) O termo despesca é utilizado, na aqüicultura, para definir a operação de retirada do organismo cultivado do viveiro quando este o tamanho comercial.